Pirajá está entre os sete bairros mais chuvosos dos últimos 5 anos; Confira

No mês mais chuvoso do ano, o Informe Pirajá traz mapa pluviométrico de algumas regiões

Foto: Internet
Postado em 13/05/2019 1:58

Share Button

O primeiro indício já deve ter ficado claro: maio é o mês mais chuvoso. Mas o que talvez você não saiba é que a chuva também tem um horário favorito: é entre 5h e 6h. E o Cabula, o bairro onde mais choveu nos últimos cinco anos. A reportagem analisou os registros de 20 pluviômetros do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) em diversos pontos da cidade, e um do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), localizado em Ondina — leia mais sobre a metodologia no final da reportagem. Além destes, o Centro de Monitoramento da Defesa Civil de Salvador implantou 18 equipamentos próprios em 2017, mas a Codesal não forneceu esses dados.

Por que chove mais em maio?
Para se ter uma ideia de como maio é chuvoso, em 2014, 2015 e 2018 choveu em algum ponto de Salvador absolutamente todos os dias do mês. Em 2017, foram 30 dias com registros de chuva e, em 2016, 27 dias. Além disso, os dados do Cemaden mostram que, dos 10 dias mais chuvosos desde 2014, metade foi em maio. De 2014 a 2018, a média de chuva acumulada no mês foi de 321mm, contra 224,8 em abril, quando o período mais chuvoso do ano começa. Cada milímetro de chuva equivale a um litro de água por metro quadrado.

 

O que o bairro de Pirajá tem?
O bairro é cercado pelo segundo maior bioma de Mata Atlântica do país. o Parque São Bartolomeu e também por duas extensões de mata, uma localizada entre a BR-324 e a estrada de acesso principal ao bairro: conhecido como o terreno da Família Fratelli Vita e o outro onde já existiu a Fábrica de Azulejos IASA.  E Todos os dias, quando chove naquela região de Pirajá ou próxima, o pluviômetro registra cada milímetro. Dos pluviômetros analisados, foi um dos que mais acumulou água entre 2014 e 2018. Choveu naquela região, em média, 1,50 mil milímetros anuais, 102 a mais que o segundo colocado, o bairro do Rio Sena, no Subúrbio Ferroviário que também é vizinho do Parque São Bartolomeu. Confira no gráfico abaixo:

No caso do Subúrbio, com três entre os 10 bairros mais chuvosos, por exemplo, as manchas verdes também são fundamentais. A presença do Parque São Bartolomeu, também remanescente de Mata Atlântica, é um destaque. “A chuva se distribui de maneira irregular porque há uma série de ocupações, de prédios, matas, corredores, vales, como o Vale do Vasco da Gama”, contrapõe Emanuel. Cada perímetro, afinal, pode apresentar suas condições climáticas (microclimas).

Esse tanto de número e explicação só evidencia o que todo soteropolitano já sabe: por aqui, e mais nesse tempo do ano, é melhor sempre ter uma sombrinha à mão.

Informe Pirajá
Valorizando o que é do bairro!

Acompanhe também nossas notícias e conteúdos exclusivos através das nossas redes sociais, no Facebook: Informe Pirajá, no Instagram: @informepiraja.

Comentários

comentarios

Fonte: Informe Pirajá